Se compararmos a indústria moteleira a um ser humano e as fases da vida, podemos dizer que os motéis já atingiram a meia idade. Tudo começou em 1968 quando, oficialmente, o primeiro estabelecimento foi inaugurado, até alcançar os dias atuais, e, hoje, em 2018, chegamos aos 50 anos.

O ápice desta indústria ocorreu nos anos 80, consagrando-se na década de 90, vivendo aquele clássico auge dos vinte e poucos anos.Já nos anos 2000, como na idade dos trinta em que já perdemos aquele máximo vigor da juventude, os motéis começaram a ficar um pouco desgastados. Atualmente, os motéis completam meio século de vida com poder de indústria, mas já um tanto cansado e com peso do tempo nas costas.

Motel/Pixabay

Neste momento os motéis se encontram em um novo mundo, sendo obrigados a renovar e dialogar com as novas gerações.

Construímos edificações com bases sólidas, em grandes propriedades, espalhados pelo Brasil de norte a sul. Além disso, possuímos uma infraestrutura que muitos modelos de negócio não possuem. Foram milhões gastos, décadas de trabalho árduo, para chegar onde chegamos e seguimos funcionando 24 horas, sem pausa, e, ainda empregando milhares de brasileiros.

A comunidade de quase 5000 motéis que temos presente no Brasil, precisa assimilar os tempos desafiadores nos quais vivemos. Além disso, é preciso apontar e seguir novos caminhos para uma nova revolução do mercado, como por exemplo, focar na qualidade dos serviços, ofertar suítes como meio de hospedagem tradicional e transformar o conceito de ambiente íntimo para casal.

O Luvotels convida os motéis e casais frequentadores a participarem dessa nova etapa!

Nossa missão é prover tecnologia e facilidades para esse novo período que adentramos!